­
logotipo kase
vaziocart

wolv k9

Desde que mudei para o digital, os filtros fazem parte do meu processo como fotógrafo de paisagens.

Tendo em conta que privilegio as melhores horas do dia para a fotografia, normalmente o nascer e o pôr do sol, os filtros tornaram-se parte fundamental para a obtenção de melhores imagens.

Nos primeiros anos, como a maioria dos fotógrafos, comecei por usar filtros circulares e, rapidamente, à medida que adicionava lentes ao meu kit, percebi que os filtros de rosca circular eram uma perda de dinheiro e espaço, com graves problemas técnicos de qualidade e versatilidade.

Foi em 2014 que decidi comprar um sistema de filtros quadrados. Na época, os sistemas LEE ofereciam a melhor qualidade e reputação, pelo que comprei então um conjunto para as minhas necessidades. Durante anos usei LEE e fiquei totalmente satisfeito com os resultados. Nos últimos anos, outras marcas surgiram no mercado com melhores e mais evoluídos sistemas e com filtros de vidro que reivindicavam melhor qualidade do que os filtros de resina LEE. Durante algum tempo, acostumado aos LEE, resisti a mudar de marca e aguardei que a LEE lançasse novos filtros.

Em 2019, numa viagem a Lofoten, tive a oportunidade de experimentar o novo sistema Haida e gostei do que vi. Gostei do sistema e da qualidade dos filtros. Logo após voltar a casa, vendi o meu kit LEE e comprei um novo da Haida, que mantenho no momento desta análise.

Já há alguns anos que ouvia falar da Kase, mas nunca tinha tido a oportunidade de experimentar os seus filtros.

Recentemente, a Kase Portugal pediu-me para testar o seu sistema de filtros, e desde logo concordei em o fazer e elaborar este artigo, que transmite as minhas próprias ideias sinceras e independentes sobre estes filtros, depois de os usar no terreno nos últimos 2 meses. Devo mencionar que, à data deste artigo, não tenho nenhum acordo ou contrato com a Kase ou outra marca de filtros e que o Master Kit que me enviaram para teste será devolvido após a conclusão deste artigo.

 

#1 Wolverine Master Kit, o que está incluído neste kit?

1x Suporte de filtros K9
1x Polarizador circular magnético
1x anel adaptador de 67mm com rosca para filtros redondos Kase de 77mm
1 anel adaptador de 72mm com rosca para filtros redondos Kase de 77mm
1 anel adaptador 77mm com rosca para filtros redondos Kase 77mm
1 anel adaptador de 82mm com rosca para filtros redondos Kase de 82 mm
1 Filtro S-GND 0.9 Wolverine 100x150mm (Gradiente 3 stops Suave)
1 Filtro S-GND 1.2 Wolverine 100x150mm (Gradiente 4 stops Suave)
1 Filtro R-GND 0.9 Wolverine 100x150mm (Gradiente 3 Stops Reverso)
1 Filtro ND 1.8 Wolverine 100x100mm (ND 6 stops)
1 Filtro ND 3.0 Wolverine 100x100mm (ND 10 stops)
1 Saco de filtros com capacidade até 10 filtros e suporte

 

Filtro extra adicionado ao kit:

1 Filtro ND 0.9 Wolverine 100x100mm (ND 3 stops)

 

#2 Suporte de Filtros de 100mm K9

k9O suporte K9 é a mais recente atualização da versão K8.

Apesar de não ter experimentado o K8, pelo que me ouvi dizer, tinha alguns problemas de vinhetagem ao usar lentes ultra grande angulares. Testei o K9 com a minha lente Sony FE 16-35 f2.8 e não notei nenhuma vinheta, posso dizer que Kase fez um ótimo trabalho com a versão K9, desenvolvendo uma solução para esse problema.

À primeira vista, o suporte parece frágil, mas acredite que depois de o segurar e usar, perceberá que é muito leve, mas resistente o suficiente para o trabalho.

Este equipamento de alumínio anodizado preto fresado em CNC parece ter sido construído com a mais alta qualidade possível.

Há uma pequena roda no suporte que permite girar o polarizador para a posição necessária.

Vem equipado de série com duas ranhuras para filtros de 2 mm de espessura e é possível substituí-lo por três ranhuras. Como a Kase também possui filtros com 1,1 mm de espessura, está incluído um conjunto de slots de 1,1 mm. No entanto, não é possível combinar os filtros de 2 mm com os de 1,1 mm de espessura.

Ao contrário de algumas outras marcas, a Kase colocou a junta nas ranhuras do suporte e não nos filtros. Esta parece-me uma boa solução, pois, em outros sistemas que utilizei com as juntas colocadas nos filtros, dependendo do tempo de uso, do modo de armazenamento e do ambiente onde são utilizados, tendem a desprender-se do filtro.

O suporte é montado facilmente no anel adaptador. Aperta no anel adaptador usando um botão tipo parafuso para garantir que não haja remoção acidental. Na maioria das outras marcas com sistemas semelhantes, o suporte fica solto no anel, permitindo que gire livremente quando necessário. Isso pode parecer uma desvantagem do sistema Kase, mas para girar o suporte, basta afrouxar um pouco o parafuso e ele girará ainda firmemente preso ao anel adaptador.

Porém, o fato de ser possível apertar o suporte, tem a vantagem de nos dar a confiança de que é muito seguro e de que os filtros não vão cair. Como líder e formador de fotografia de viagem, digo sempre aos meus participantes que eles devem remover e arrumar os filtros antes de mudar de local, mesmo que seja apenas algumas dezenas de metros. Com o sistema Kase, senti-me perfeitamente confortável ao andar com o tripé sobre o ombro, segurando a câmera com os filtros montados, enquanto mudava de local. Pode não parecer grande coisa, mas este simples fato é extremamente importante num suporte quando fotografamos ao ar livre. Às vezes, temos situações em que a câmera fica na vertical num penhasco ou sobre uma ponte, onde a queda do suporte implica a perda total dos filtros. Acredite, eu já vi isso acontecer mais vezes do que gostaria...

Portanto, o meu conselho vai no sentido de que o porta-filtro K9 Kase é uma ótima escolha para todos aqueles que têm tendência a deixar cair o porta-filtros, ou que costumam usá-lo em locais onde uma queda não permite a sua recuperação.

 

#3 Anel adaptador magnético 100mm K9

AnelSão fornecidos em diversos diâmetros, de acordo com o tamanho de cada lente.

O que diferencia os anéis adaptadores da Kase de outros sistemas é que eles são magnéticos. Além de ser a base do suporte, também permite a utilização dos filtros circulares magnéticos Kase diretamente no anel, sem aparafusar ou sequer usar o suporte. Esta é uma grande vantagem quando se deseja usar apenas o filtro polarizador.

 

#4 Filtros de Densidade Neutra Wolverine 100mm

NDs

Os 3 filtros ND testados, são feitos de vidro ótico à prova de choque com 2 mm de espessura, quase inquebrável.

Com revestimento cortado a lazer (IR-CUT), não acumula água, é resistente a arranhões e é à prova de choques.

Filtros de densidade neutra servem para aumentar o tempo de exposição e assim permitir uma série de possibilidades para o fotógrafo. O aumento do tempo de exposição permite, por exemplo, eliminar objetos ou pessoas em movimento num ambiente estático; suavizando o movimento da água ou arrastando nuvens.

Porém, espera-se que o uso deste tipo de filtros também se traduza numa imagem de qualidade, sem perda de nitidez ou grande matização de cores.

No passado, quase todas as opções do mercado, nomeadamente nos filtros 10 stops produziam uma tonalidade extrema de cor quase impossível de tratar, razão pela qual deixei de usar este filtro e nem faz parte do meu kit habitual. Como normalmente tiro fotos em horas de pouca luz, o filtro de 6 stops é suficiente para aumentar a exposição que normalmente procuro.

A realidade de hoje mudou e agora é possível produzir uma peça de vidro escuro com qualidade para ser usada em fotografia.

Os testes realizados aos filtros Kase Wolverine foram realizados a fim de verificar a sua densidade, nitidez, vinhetagem e tonalidade.

Para isso, foram utilizados em situação de pouca luz e contra o sol, situação que muitas vezes é o cenário preferido de um fotógrafo.

Para testar os filtros é necessário que os testes de comparação sejam realizados num tempo muito curto para que a luz seja comparável.

Também é importante que todas as configurações da câmera sejam manuais, incluindo o equilíbrio de branco, que é essencial para verificar a alteração de cores.

Deixar a máquina em modo totalmente automático, quando se tem um vidro na frente, faz com que ela procure compensar tanto o tempo de exposição quanto o balanço de brancos. Deve-se notar que nem todas as câmeras são capazes de realizar uma medição de exposição com um filtro de 10 stops à frente da lente.

As imagens abaixo são o RAW exportado do Lightroom sem nenhum ajuste feito.

 

Filtro ND0.9 Wolverine 100x100mm (ND 3 stops)

Configurações da câmera:

  • Modo manual
  • Equilíbrio de branco definido para sombras.

ND09

Densidade: O filtro ND 0.9 tem uma subexposição muito leve, como podemos ver no histograma. Pela comparação dos dois histogramas, deve ser feita uma correção de exposição de +0,3 EV no Lightroom

Vinhetagem: Sem vinhetagem.

Nitidez: Sem perda visível de nitidez.

Cor: O filtro Kase ND0.9 não tem alteração de cor ou saturação.

 


Filtro ND1.8 Wolverine 100x100mm (ND 6 stops)

Configurações da câmera:

  • Modo manual
  • Equilíbrio de branco definido para sombras.

ND18

Densidade: O filtro ND 1.8 tem uma subexposição muito leve, como podemos ver no histograma. Pela comparação dos dois histogramas, deve ser feita uma correção de exposição de +0,5 EV no Lightroom.

Vinhetagem: Sem vinhetagem.

Nitidez: Sem perda visível de nitidez

Cor: O filtro Kase ND 1.8 não tem alteração de cor e apresenta uma saturação de cor muito leve.

 


Filtro ND3.0 Wolverine 100x100mm (ND 10 stops)

Configurações da câmera:

  • Modo manual
  • Equilíbrio de branco definido para sombras

ND30

Densidade: O filtro ND 3 também apresenta alguma subexposição, como podemos ver no histograma. Da comparação dos dois histogramas, resulta que deve ser feita uma correção de exposição de +0,8 EV no Lightroom.

Vinhetagem: Sem vinhetagem.

Nitidez: Sem perda visível de nitidez.

Cor: O filtro Kase ND3 tem alguma matiz de cor e uma saturação de cor muito leve.

A ligeira tonalidade pode ser corrigida no Lightroom com as seguintes correções de configurações:

  • balanço de branco: - 400 kelvins
  • colorir: valor -14

Após correção no lightroom:

ND30corrigido

Em resumo, os filtros ND da Kase têm uma boa qualidade de vidro, mantendo a nitidez e sem matizes de cor abusivas. A matiz de cor só é visível no filtro ND3, o que é normal neste tipo de filtros e facilmente corrigido na pós-produção. O teste foi feito com WB personalizado, mas caso o fotógrafo opte por usar o modo AWB, a câmera automaticamente faz ajustes que corrigem grande parte dessa alteração de cor no filtro ND3. Em qualquer caso, é normal que os filtros ND3 tenham algum matiz de cor e este da Kase é um dos melhores que já vi e pode ser facilmente corrigido.

Também testei a questão da acumulação de água no filtro e posso dizer que depois de molhar o filtro ele não acumula gotas e pode ser limpo com muita facilidade sem espalhar.

 

5 Filtros Gradiente de Densidade Neutra Wolverine 150x100mm

GNDs

Um filtro graduado de densidade neutra, também conhecido como filtro GND, é um filtro de densidade neutra divido em duas partes.

É um filtro ótico de transmissão de luz variável. Normalmente, metade do filtro tem densidade neutra que transita abruptamente, gradualmente ou muito suavemente, na outra metade que é transparente. É usado para trazer uma parte excessivamente brilhante de uma cena para a faixa dinâmica do sensor.

Normalmente é muito útil ao fotografar o nascer do sol ou o pôr do sol, onde a luz no céu é muito mais brilhante do que a do solo.

testeGND

Testando o Filtro Gradiente numa Sony A7RIV com a lente 16-35 f2.8

 


Filtro GND0.9 Suave Wolverine 100x100mm (S-GND 3 stops)

Configurações da câmera:

  • Modo de abertura
  • Equilíbrio de branco definido para sombras.

GND09

 

Filtro GND1.2 Suave Wolverine 100x100mm (S-GND 4 stops)

Configurações da câmera:

  • Modo de abertura
  • Equilíbrio de branco definido para sombras.

GND12

Vinhetagem: Sem vinhetagem.

Nitidez: Sem perda visível de nitidez.

Cor: OS filtros GND da Kase não têm tonalidade de cor nem saturação.

Não existe um filtro adequado para todas as situações. Cada caso é diferente, portanto, a Kase oferece filtros graduados com diferentes densidades e diferentes tipos de transição.

Qualquer um destes 2 filtros consegue resolver a faixa dinâmica da cena. O fato de possuírem uma transição suave, torna difícil perceber o ponto de transição correto, ao colocar o filtro, mas, também por isso, não é fundamental que o filtro seja colocado no lugar exato, porque, na imagem final, não é percetível o ponto de transição do filtro, ao contrário do que acontece com o tipo de transição abrupta, que precisa estar muito bem posicionado para que as marcas de transição na foto final fiquem impercetíveis

 

6 Filtro Gradiente de Densidade Neutra Reverso Wolverine 150x100mm

reverse

O filtro reverso GND é semelhante ao GND, exceto que, em vez de ter uma parte escura na parte superior que gradualmente desvanece para neutro, ele tem uma parte central mais escura no filtro que desvanece suavemente para a parte superior menos escura e para a parte neutra na zona inferior.

Este filtro foi projetado especialmente para situações de luz forte no horizonte, normalmente útil para fotografar o nascer e o pôr do sol, quando este se encontra diretamente no enquadramento.

Às vezes, é conveniente usá-lo simultaneamente com um filtro GND para ajudar a equilibrar a luz.

Como qualquer outro tipo de filtro, este não deve ser usado apenas porque o temos. Se houver algo no primeiro plano que vai da parte neutra do filtro para a zona escura, vai dar asneira. Pura e simplesmente não use o filtro. Quando usado com sabedoria, pode alcançar ótimos resultados.

RGND12

Vinhetagem: Sem vinhetagem.

Nitidez: Sem perda visível de nitidez.

Cor: O filtro Kase GND reverso 0.9 não tem tonalidade de cor evidente, mas mostra alguma saturação de cor principalmente na zona escura.

Como pode ver na imagem acima, o uso do filtro neste tipo de situação equilibra os tons da foto. No histograma, pode ver facilmente uma concentração muito maior de tons médios, sendo menos evidentes os realces e as sombras.

 

7 Filtro Polarizador Circular Magnético

polarizador1

São especialmente adequados para fotografia ao ar livre devido à forma como podem neutralizar o brilho natural da luz solar.

Podem ser úteis nos casos em que cortar o brilho irá melhorar o contraste e destacar as cores. Ao reduzir o brilho dos reflexos, pode ajudar a ver através de superfícies reflexivas transparentes.

O problema de usar CPL com lentes ultra angulares é bem conhecido. Como a polarização atinge seu melhor a 90º da fonte de luz e, devido às lentes grande-angulares com campos de visão maiores que 90º, cria áreas escuras na imagem que são difíceis de lidar na pós-produção.

Este problema começa a ser menos visível nas lentes após 50mm. Por ser a 16-35mm, a lente de excelência para fotografia de paisagem, e como tento privilegiar as chamadas horas nobres para fotografar, muitas vezes com o sol a incidir diretamente, acabo por não utilizar tanto este tipo de filtro, devido à correção dessas zonas escuras na pós-produção ser complicada de se conseguir.

Porém, o filtro é muito útil quando fechamos o ângulo, aumentando a distância focal e quando temos brilho nas superfícies. Outros usos ideais para esse tipo de filtro são em áreas de floresta, para realçar alguns tons, como verdes, e remover o brilho de entradas de luz. A sua utilização na fotografia de rua é também algo a ter em consideração, nomeadamente após as chuvas recentes que deixam as superfícies molhadas e brilhantes, para além que na cidade, temos muitas superfícies vidradas que podem causar, por vezes, reflexos indesejados.

O filtro polarizador da Kase apesar de não ser o melhor dos melhores produtos dessa linha, é idêntico a muitos outros que usei. Em termos de qualidade e uso, encontro algumas semelhanças entre os polarizadores Kase e Haida, ambos projetados para trabalhar perto da lente.

Essa é uma grande questão que atormenta a comunidade de fotógrafos há muito tempo e sem uma resposta definitiva.

Ao juntar o CPL com o ND ou GND, o CPL deve ser colocado próximo à lente ou no final do conjunto?

Eu vi e usei as duas soluções. Há colegas que defendem um método, há outros que argumentam que o oposto é correto.

Talvez a resposta não seja uniforme e dependa da marca e das características construtivas dos filtros.

Usei o sistema LEE por 5 anos com o filtro polarizador mais afastado da lente e nunca notei problemas nas imagens por causa disso. Quando comecei a usar o sistema Haida com o drop-in CPL, que fica à frente da lente, também não notei nenhum problema.

Tendo isso em mente, ao testar o CPL de Kase, testei um CPL com ND0.9 depois e também testei com a posição dos filtros invertida.

CPL + ND0.9 (CPL à frente da lente) Filtros Kase

Deste modo, a CPL funciona bem, quase da mesma forma que sozinho. Obviamente, há uma perda de brilho devido a ter um filtro de densidade neutra para obscurecer a lente.

Filtros Kase CPL + ND1.8 (CPL à frente da lente)

É praticamente desnecessário e não funcional usar o CPL, uma vez que a redução de luz dada pelo ND1.8 é demais para um uso eficaz do CPL.

ND0.9 + CPL (ND na frente da lente) Filtros Kase

Neste modo, com a ordem dos filtros invertida de acordo com o conceito da Kase, um tom acastanhado é muito perceptível.

polarizador

Então, em relação aos filtros de Kase, a resposta é que o polarizador deve ficar na frente da lente.

A Kase, como outras marcas, tem um dilema na concepção desses sistemas de filtros. Um filtro com uma densidade maior e, como tal, mais força de polarização visível tornará o suporte mais espesso e provavelmente causará vinhetagem com lentes grande angulares.

Então, algumas marcas idealizaram os seus sistemas para que o filtro polarizador seja colocado próximo da lente e ultrafino para permitir o uso de mais filtros sem causar vinhetagem.

O filtro da Kase, como outros, tem uma densidade baixa e, quando polarizado, produz uma perda de 1,2 EV enquanto o meu antigo polarizador LEE 105mm perdia cerca de 2 EV.

foto

Durante os testes do polarizador da Kase, tive, em alguns momentos de pouca luz, dificuldade em perceber se estava totalmente polarizado ou não, mesmo com o auxílio do histograma no LCD da câmera a alteração no mesmo foi mínima. Durante as horas normais do dia, é relativamente fácil notar a polarização das superfícies com brilho e reflexos. Devo mencionar também que, talvez, devido à baixa densidade do filtro, a saturação do azul do céu não seja muito acentuada quando polarizada.

Como mencionei, tenho e tive vários filtros polarizadores, circulares para enroscar ou circulares para os chamados sistemas quadrados.

De Hoya, Thiffen, B&W a LEE105, Haida Drop-in, o que mais me satisfez até hoje foi o polarizador da LEE105mm. Além de ter uma boa polarização visível, também apresentava um leve aquecimento dos tons, além de aumentar o contraste no céu, também ajuda a realçar os tons de verde, castanho e dourado.

Quanto ao filtro Kase, embora funcional, seria ótimo se ele tivesse um pouco mais de força de polarização e, por que não, também fizesse um leve aquecimento dos tons quentes que os fotógrafos sempre apreciam.

filtros magneticos

Eu mencionei que o polarizador de Kase é magnético? Não?

É aqui que o filtro se destaca. A facilidade e rapidez com que se remove e insere o filtro é muito útil. Claro, quando temos o suporte com mais filtros, temos que removê-lo para remover o filtro, mas como o filtro magnetiza com o anel, só temos que remover momentaneamente o suporte, remover o filtro e recolocar o suporte.

Para quem gosta de fotografia de rua, é muito fácil de usar, pois não é necessário ter suporte para colocar o filtro. Basta usar o anel adaptador e colocar o filtro diretamente no anel magnético sem precisar parafusá-lo. Tornando o conjunto mais fácil de usar e mais discreto na fotografia de rua e até mesmo em outras situações de utilização de máquina na mão que exijam o uso do polarizador.

 

8 Tampas de lente

lens cap

As tampas das lentes estão disponíveis em 2 opções. Plásticas de encaixe ou liga de metal magnética.

Qualquer que seja a opção escolhida, as tampas são uma peça fundamental no kit de um fotógrafo.

Nestes sistemas de filtros quadrados, onde é necessário usar um anel adaptador na lente, não é prático estar sempre a remover o anel para colocar a tampa original da lente. Portanto, as tampas Kase são essenciais para proteger a lente quando ela é colocada na mochila, evitando possíveis arranhões e, mesmo quando andamos com a câmera na mão, protegendo a lente de possíveis choques.

As tampas Kase podem ser utilizadas diretamente no adaptador de anel magnético e mesmo com o suporte montado.

Da mesma forma, mesmo com o CPL instalado, podem ser usadas, protegendo assim também o filtro polarizador.

 

9 Conclusões

Eu aconselharia os fotógrafos a comprar o sistema de filtro K9 100 mm da Kase? Sim, sem dúvida. Embora não seja perfeito e sujeito a melhorias, não existe um sistema de filtros perfeito. Cada sistema tem prós e contras, mas o K9 da Kase é um sistema de filtros muito amigável e fácil de usar. Funciona muito bem e é muito flexível quando utilizado no exterior. Gosto realmente do conceito magnetico para o polarizador e também do fato do suporte ser realmente sólido quando devidamente apertado ao anel adaptador magnetico. Um sistema filtros completo é caro, portanto é melhor ter um sistema de suporte seguro e confiável de modo a preservar os nossos caros filtros.

Do que gostei:

  • O porta-filtro é muito bem construído
  • O porta-filtro é muito leve
  • mecanismo de travamento para evitar que o suporte gire e / ou caia
  • Os filtros têm uma sensação de qualidade muito boa
  • Filtros inquebráveis (não testei)
  • Sem vinhetas
  • Conceito magnético polarizador, o que permite a utilização de CPL com ou sem a colocação do suporte
  • O botão de rotação para o filtro de polarização é grande o suficiente para ser usado com luvas de inverno
  • Vidro de alta qualidade
  • Grande gama de opções de filtros


Do que não gostei:

  • Força do polarizador
  • Ligeira tonalidade de cor no filtro ND3.0
  • A necessidade de remover o suporte ou filtros para colocar ou remover o CPL


10 Minha seleção "preciso de ter" de um kit de filtro para fotografia de paisagem

Suporte de filtros K9

Polarizador Circular Magnético

1x anel adaptador XXmm para cada lente que possuo

1x tampa lente para cada anel

Filtro S-GND 0.9 Wolverine 100x150mm (Gradiente 3 stops Suave)

Filtro M-GND 0.9 Wolverine 100x150mm (Gradiente 3 stops Médio)

Filtro R-GND 0.9 Wolverine 100x150mm (Gradiente 3 Stops Reverso)

Filtro ND0.9 Wolverine 100x100mm (ND 3 stops)

Filtro ND1.8 Wolverine 100x100mm (ND 6 stops)

 

11 Equipamento usado

Sony A7RIV

Sony FE 16-35 f2.8 G Master

Tripé Leofoto LN364C

Really Right Stuff BH-55 Ball Head

 

12 Algumas imagens obtidas com filtros Kase

foto PP1

Capela do "Sr. da Pedra" | Miramar | Portugal: Kase ND 3 stops + 3 stop Soft GND

Foto PP2

Capela do "Sr. da Pedra" | Miramar | Portugal: Kase ND 6 stops

foto PP3

Caldeirão do Corvo | Açores | Portugal: Kase 4 stop Soft GND

 

Tradução do original publicada com autorização do autor: Paulo Pereira.

Original: https://www.paulopereiraphotography.com/post/kase-k9-system-wolverine-filters

pagamentos seguros imagens
Os preços dos produtos apresentados em promoção são válidos entre 1 de Junho e 31 de Dezembro de 2021.
Este site utiliza cookies. Ao navegar neste site está a consentir a sua utilização. | Livro de Reclamações Eletrónico
copyright 2007-2021 AENERA Representações Lda. | Portugal